O Programa VIZINHANÇA SOLIDÁRIA é um conjunto de ações de prevenção primária e facilitadora da filosofia de Polícia Comunitária.

O Programa VIZINHANÇA SOLIDÁRIA, tem por objetivo incentivar os munícipes a colaborar com a segurança do Município, prestando atenção especial aos bairros e arredores acionando prontamente a polícia pelo nº 190, quando algo suspeito for identificado e também a redução do número de criminalidade nos bairros de cada município. Este programa estará sendo administrado pelo Conselho Comunitário de Segurança (CONSEG). Os CONSEGs são grupos de pessoas do mesmo bairro ou município que se reúnem para discutir e analisar, planejar e acompanhar a solução de seus problemas comunitários de segurança, desenvolvendo campanhas educativas e estreitar laços de entendimento e cooperação entre as varias lideranças locais. Cada Conselho é uma entidade de apoio a Polícia Estadual nas relações comunitárias, e se vinculam, por adesão, As diretrizes emanadas da Secretaria de Segurança Pública, por intermédio do Coordenador Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança.

Quando as pessoas de uma comunidade interagem e se conhecem, a preocupação com os interesses da coletividade aumenta, inclusive com questões de segurança pública, criando um sentimento de reciprocidade de obrigações e interesses, tanto entre os cidadãos como entre estes e os órgãos de segurança.

Demonstra-se a importância do comportamento de VIZINHANÇA SOLIDÁRIA como ferramenta facilitadora da filosofia de Polícia Comunitária, em face da necessidade de interação dos integrantes das diversas comunidades junto aos operadores do programa de Policiamento Comunitário, proporcionando o preenchimento das lacunas de dados, considerados como invisíveis, frente às informações estatísticas, porém, prementes no dia a dia da população e indispensáveis para o planejamento do policiamento preventivo. A Prevenção Primária como instrumento de integração dos operadores da Polícia Comunitária contribui para a segurança pessoal do cidadão no contexto social, pois este deve ter a Segurança Pública como qualidade de vida e investir em prevenção é a melhor opção diante das ameaças urbanas.

Ações e requisitos

  1. Materialização por meio de uma placa custeada pela iniciativa privada em caráter não oneroso, firmando uma parceria com a Cia da PM local, CONSEG ou alguma outra entidade de cunho social, como Associações Comerciais e/ou de bairros;
  2. O Comando da Cia da PM e a entidade passam a ser os responsáveis pela aquisição, distribuição e manutenção das placas;
  3. Fortalecimento do nome, VIZINHANÇA SOLIDÁRIA, de modo que não se individualizem pessoas, mas sim a vizinhança;
  4. Escolha dos locais para afixação das placas pela Cia da PM, com base nas ferramentas de inteligência policial e de gestão, o que não impede de ser adquirida espontaneamente pelo TUTOR;
  5. Identificação e escolha de um TUTOR, que será uma espécie de líder comunitário na vizinhança solidária que literalmente zelará pelas placas, informando ao CONSEG e/ou entidade de um possível extravio, por exemplo;
  6. Inserção do TUTOR no programa de visitas comunitárias realizado pela Cia da PM ou nos Cartões de Prioridade de Policiamento, de forma que periodicamente, sugere-se quinzenalmente, tenha-se um contato, cidadão e policial.

Como utilizar o aplicativo WhatsApp no programa VIZINHANÇA SOLIDÁRIA

  1. O TUTOR da área de alcance deverá ser o responsável pela criação de um GRUPO no WhatsApp e convidar os vizinhos da área a participar “espontaneamente” do grupo de mensagens e explicar as regras de mensagens a serem divulgadas entre os componentes.
  2. O TUTOR será o responsável por transmitir somente as mensagens “relevantes” ao policiamento da área, mensagens estas que poderão resultar em futuras ações preventivas a serem implementadas pela polícia comunitária.

 

Para mais detalhes, visite: http://jus.com.br/artigos/22509/programa-vizinhanca-solidaria-como-acao-da-prevencao-primaria-e-de-ferramenta-facilitadora-da-filosofia-de-policia-comunitaria#ixzz3CkJM6j2e